Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Escrevendo uma nova história

Quando algúem compra um produto da linha Crer para Ver está levando mais do que um lápis, um caderno ou um acessório para casa. Está fazendo parte da vida de uma criança que acaba de descobrir um livro novo , uma palavra curiosa e vai se tornar um adulto capaz de entender e questionar o mundo ao seu redor.

Isso porque a linha Crer para Ver foi criada, há quase vinte anos, pensando em melhorar a qualidade da educação brasileira.

Essa é uma causa onde todos podem participar e contribuir, nossa rede de Consultoras tem papel fundamental da divulgação e venda desta linha, nossos consumidores adquirem esses produtos, e o lucro é totalmente direcionado ao Instituto Natura, que investe esse lucro em projetos visando a melhoria da educação pública brasileira e por consequência, de nossa sociedade.

Nosso Círculo Virtuoso

Nosso Circulo Virtuoso

Transformando produtos em educação

Linha do tempo

Em 1995 a Natura iniciou um compromisso com a educação brasileira, em busca de um ensino de qualidade, que amplia e transforma a realidade das pessoas.

Com esse compromisso nasceu a linha de produtos Crer para Ver. Todo lucro arrecadado com esses produtos é direcionado ao Instituto Natura, que o investe em projetos que visam a melhoria da educação pública no Brasil.

1995

Criação da linha Natura Crer para Ver e, em parceria com a Fundação Abrinq, início do investimento do lucro com a venda dos produtos em educação.

1997

Criação do Prêmio Crer para Ver, para reconhecer Consultores e Consultoras Natura (CNs) que se dedicaram à venda dos produtos da linha.

1998

O programa Crer para Ver recebe o Prêmio PNBE de Cidadania (Politica Nacional da Bivlioteca Escolar) como Melhor Projeto de Educação do ano.

2000

Criação do projeto Consultoras- Professoras, para sensibilizar as integrantes da nossa rede que também são professoras a discutir a melhoria do ensino.

2001

Implementação do Projeto Promotoras Representantes, por meio do qual promotoras se tornam disseminadoras do programa (Politica Nacional da Bivlioteca Escolar) como Melhor Projeto de Educação do ano.

2004

A linha NaturaCrer para Ver apoia a campanha Educação de Jovens e Adultos (EJA) com auxílio de Consultores e Consultoras Natura, que estimulam jovens e adultos a voltar aos estudos.

2005

Em parceria com o MEC, é lançado o Prêmo EJA, para reconhecer boas práticas nas escolas do País. Apoio ao Projeto Em Cada Saber, Um Jeito de Ser, que capacitou, até 2008, 160 professores em três municípios do semiário baiano.

2006

Natura assume a gestão integral do Crer para Ver, encerrando a parceria com a fundação Abrinq.

2007

Ampliação do programa Natura Crer para Ver, que passa a estabelecer parcerias com o setor público e organizações da sociedade civil a ter como foco prioritário a leitura em escolas de educação infantil de todo o País. Apoio à criação do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP).

2008

Encerramento da Campanha EJA. Com o apoio das CNs e das escolas, 162 mil pessoas voltaram a estudar.

2009

Lançamento do Projeto Trilhas que, hoje, beneficia mais de 3 milhões de alunos em 3,3 mil municípios brasileiros.

2010

Criação do Instituto Natura, para fortalecer a atuação da Natura na área educação. O instituto assume a gestão dos recursos originádos pela linha Natura Crer para ver. A linha Natura Crer para Ver completa 15 anos. Sua linha de produtos é relançada, com uma nova linguagem.

2011

O projeto Trilhas se transforma em política pública, em uma parceria do Instituto Natura com o Ministério da Educação, beneficiando 72 mil escolas do Brasil.

2012

A linha de produtos Natura Crer para Ver registra arrecadação recorde de recursos no Brasil e na America Latina. No Brasil, a aplicação dos recursos é ampliada para: apoio à gestão pública da educação inovações em tecnologias educacionais e transformação educacional e social. Nas operações dos demais países, os recursos são aplicados localmente.

2013

Criação e implementação da Rede de Apoio à Educação (RAE), que integra projetos e a comunidade na implementação de políticas educacionais, potencializando compromisso e resultados. Fortalecimento do apoio aos projetos desenvolvidos na América Latina.

2014

Mais de 1 milhão de consultoras e consultores Natura compraram, ao menos uma vez, um produto da linha Natura Crer para Ver, contribuindo para a causa da educação em 2014. A nossa visão, “criar condições para cidadãos formarem uma comunidade de aprendizagem”, passa a ser realidade em mais escolas com a expansão do projeto Comunidade de Aprendizagem no Brasil, com mais de 170 escolas e, na América Latina, com 37 escolas.

Produtos

A linha Crer para ver nasceu para ser moblilizadora. Isso nos indica um portifólio exclusivo com itens acessíveis que simbolizam o engajamento solcial das pessoas que os adquirem.

Você encontrará itens com design moderno e funcional, presenteáveis, com preços variados para que você possa contribuir com a causa da forma como preferir, além de, claro, itens relacionados a educação.

Confira abaixo os produtos Crer Para Ver.

Você Participa

Cada vez que você compra um produto da linha Crer para Ver você já está contribuindo com diferentes iniciativas para melhoria da educação brasileira.

E eu, como posso participar?

Outra maneira de contribuir é através da nossa plataforma colaborativa. A plataforma Movimento Natura conecta iniciativas transformadoras às pessoas dispostas a colaborar com elas. Em nossa plataforma, todos podem entrar em ação, contribuindo para construção do futur que sempre sonhamos.

Saiba mais sobre nossos projetos em:
institutonatura.org.br

Transformação por meio da educação

Os recursos de Crer para Ver são integralmente direcionados ao Instituto Natura desde 2010. O Instituto Natura apoia e desenvolve mais de 20 iniciativas voltadas à melhoria da Educação Básica da rede pública, no Brasil e na América Latina, que disseminam as melhores práticas de gestão nos sistemas públicos, apoiam projetos inovadores que, com o uso de ferramentas tecnológicas e novos modelos de escola, favorecem a equidade nos resultados de aprendizagem. Também busca fomentar a transformação social a partir da educação, incorporando princípios de sua visão que é “Criar condições para cidadãos formarem uma Comunidade de Aprendizagem”. Esta visão traz os princípios de que todos somos responsáveis, todos ensinamos e todos aprendemos uns com os outros ao longo de toda a vida.

A atuação do instituto é realizada presencialmente em parceria com uma imensa rede formada por outros institutos e fundações, governo, secretarias estaduais e municipais de educação e a própria comunidade escolar: estudantes, diretores e coordenadores, professores, famílias e comunidade do entorno. Também atua a distância com as plataformas digitais de seus projetos. Conheça um pouco das principais iniciativas

Comunidade de Aprendizagem: projeto de transformação social e cultural que tem início na escola, mas que se expande para toda a comunidade a partir da participação de familiares e voluntários nas decisões e nas atividades da escola. O projeto já transformou 172 escolas no Brasil em 50 municípios e 37 escolas em 3 países da América Latina. Conheça o projeto: www.comunidadedeaprendizagem.com

TRILHAS: conjunto de materiais com livros, jogos e cadernos de orientação que apoiam o processo da alfabetização das crianças da Educação Infantil e do primeiro ano do Ensino Fundamental. Com a parceria do Ministério da Educação, o conjunto de materiais TRILHAS foi distribuído para 72 mil escolas do Brasil, em mais de 60% dos municípios brasileiros.
Saiba mais: www.portatrilhas.org.br

Escola Digital: plataforma digital gratuita (www.escoladigital.org.br) que reúne mais de 4 mil recursos digitais (videoaulas, jogos, animações, infográficos, mapas, entre outros) selecionadas da internet para apoiar a aprendizagem dentro e fora da escola.

Conviva Educação: ambiente virtual gratuito (www.convivaeducacao.org.br) que oferece um conjunto de informações e ferramentas de apoio à gestão das secretarias municipais de Educação. A plataforma está presente em mais 4.570 municípios, sendo utilizado por 14,5 mil usuários.

Por meio da plataforma gratuita (www.iniciativasinspiradoras.org), as 26 secretarias estaduais de Educação e o Distrito Federal podem compartilhar práticas inspiradoras da gestão pública da educação e encontrar soluções para desafios comuns. Atualmente a plataforma conta com 208 publicações de estudos de casos e boas práticas.

Nossa Interação

Buscamos a qualidade e a diversidade de nossas interações por meio de diferentes estratégias:
com materiais que convidam para a reflexão e para a ação, com encontros formativos que promovem
a troca e a aprendizagem, com encontros virtuais que fomentam uma rede colaborativa.

Valor
investido em 2014
R$ 16.500.000

Dicas de Educação

Uma de nossas crenças de transformação social, trata sobre a visão de “Criar condições para cidadãos formarem uma comunidade de aprendizagem”.

Essa visão tem o objetivo de promover um movimento de transformação social a partir do envolvimento das famílias e da comunidade no dia a dia da escola. Com isso, esperamos diminuir as desigualdades a partir de melhores oportunidades de aprendizado para todos, não só do ponto de vista do conhecimento formal e dos resultados dos alunos, mas também de uma convivência pautada em valores como diversidade e solidariedade.

Confira aqui dicas de como participar e contribuir na educação de seus filhos:

A leitura inspira, transforma
e abre horizontes

A leitura é uma janela voltada para o infinito de descobertas
e compreensão sobre o mundo.A formação do leitor se dá de forma
contínua: a toda hora nascem novos autores e livros a serem descobertos.

Clique nos conteúdos abaixo e confira algumas dicas para você e para seu
filho. Saiba como estimular o interesse dele e construir o hábito de ler.
O ponto de partida é que ele conviva com livros e leitores. Portanto, você
é uma figura central nesse processo: veja como você pode ajudar.

Boa leitura!

Bebês leitores

Dicas - Bebês Leitores

O PRAZER EM OUVIR HISTÓRIAS DEVE
SER DESPERTADO DESDE CEDO

  • No início é natural que seu filho se distraia logo
    nas primeiras páginas. Com experiências regulares
    ele passará a interagir mais, fazendo gestos,
    balbucios, sorrisos, vocalizações e expressões faciais.
  • Escolha um livro rico em ilustrações, que apresente uma
    narrativa com ritmo e cadência: a musicalidade das palavras, quando lidas,
    costuma divertir e entreter os bebês.
  • Sente o bebê em seu colo, no sofá apoiado em almofadas ou em alguma
    outra posição confortável. Procure estar relaxado, pois o seu bem estar irá
    contagiar o ambiente.
  • Mostre as ilustrações mais de pertinho à medida que elas aparecem. É
    possível que ele queira apontar, agarrar ou até mesmo levar à boca: é o seu
    modo de descobrir e explorar esse novo objeto.
  • Livros de plástico e de tecido são indicados nesta etapa inicial de contato
    com a leitura. Mas a interação não deve se restringir a isso: deixe que ele
    folheie as páginas de livros – mesmo que no início ele rasgue algumas delas.

Jovens leitores

Dicas - Jovens Leitores

LER COM SEU FILHO É UM ATO
QUE ENVOLVE AFETO

  • Ler uma história com alguém é uma atividade que
    envolve trocas de opiniões, de impressões e afetivas.
    Não deixe de fazê-lo com seu filho apenas porque ele já
    sabe ler sozinho.
  • O valor que você dá aos livros é algo que seu filho poderá
    observar e seguir o modelo. Montar uma biblioteca em sua casa
    ou ler jornais e revistas diante dele são formas indiretas de fomentar seu
    interesse pelo assunto.
  • Escolher suas próprias leituras é um importante comportamento leitor
    que apenas é aprendido quando praticado. Estimule seu filho a escolher o
    que deseja ler.
  • Leia em voz alta para seu filho trechos do seu livro de cabeceira. É uma
    forma de envolvê-lo em sua leitura e incentivá-lo a fazer o mesmo.
  • Se interesse em saber o que a escola pediu para seu filho ler. Caso ainda
    não conheça a obra, revezem o livro e, capítulo a capítulo, troquem ideias
    sobre o decorrer da história.
  • Leia livros com seu filho alternando as vozes narrativas: é uma forma
    de valorizar que ele já sabe ler e compartilhar um momento de prazer.

A leitura entre pais e filhos
deve ser prazerosa e divertida

Adultos leitores

Dicas - Adultos Leitores

OS LIVROS SÃO COMPANHEIROS
PARA TODAS AS HORAS: FILA DO
BANCO, ESPERA DO ÔNIBUS OU
ANTES DE DORMIR

  • Existem livros para todo tipo de gosto, estilo e interesse.
    Os leitores devem experimentar muitos deles até encontrar
    opções com as quais se identifique.
  • Quando não encontramos nenhum livro de interesse, pedir uma indicação
    literária a um amigo que tenha um gosto parecido ou conheça as suas
    preferências é uma boa alternativa.
  • A leitura deve estar presente no dia a dia da casa e ser um assunto como
    tantos outros discutidos em família. Uma notícia de jornal lida em voz alta
    pode render bons debates e trocas de opiniões.
  • Procure conhecer autores de outros países: este é um modo de conhecer
    mais sobre o mundo.
  • Separe uma prateleira da estante para montar a biblioteca familiar. Peça
    ajuda ao seu filho para organizar as obras, assim, poderão recuperá-las mais
    facilmente quando desejarem.

A escolha para a escola do seu filho

Dicas - A escolha para a escola do seu filho

A escolha da escola para seu filho na etapa da educação
infantil é a mais difícil. Muitas dúvidas e inseguranças
aparecem nesse momento e quanto menor a criança,
mais angústias. Isso porque, geralmente, é a primeira
vez que nos colocamos frente a esse desafio.
Os próximos filhos, caso estejamos satisfeitos,
vão para o escola do primeiro, sem muita crise.

A primeira dúvida é: qual a idade ideal para matricular
na escola? Antes de um ano? Depois dos três? Essa pergunta não tem uma
resposta que sirva para todas as famílias, depende de uma série de fatores
como, a disponibilidade da mãe e do pai de estar com os filhos, as pessoas
que podem ajudar no cuidado, a proximidade com um espaço (praças,
clubes, parquinho do prédio) em que possam encontrar outras crianças...
Enfim, essa é uma decisão que cada família toma de acordo com as
circuntânscias que vive, colocando na balança os prós e contras. Tome sua
decisão analisando esse contexto de vida de sua família e saiba que pode
voltar atrás. Agora, pode ter certeza, a entrada do segundo filho escola
vai ser bem mais tranquila que a do primeiro!

Decidido quando a criança irá para a escola, é hora de pensar em qual. Ter
clareza do que se espera, pode ajudar. Você quer que a escola garanta
apenas o cuidado físico (sono, alimentação, higine) do seu filho ou que,
além disso, ela se se comprometa com seu desenvolvimento emocional,
social e cognitivo?

Um passo a passo para a busca da escola (a ideal, nunca vai existir!):

  1. Faça uma pesquisa das escolas que ficam próximas a sua casa ou trabalho.
    Atravessar grandes distâncias em uma cidade como São Paulo pode
    tornar-se muito cansativo para crianças muito pequenas.
  2. Visite o site das escolas selecionadas para conhecer quais informações
    apresentam, se tem fotos, se tem textos interessantes de orientação a
    pais, se tem produções dos alunos. Algumas podem cair nessa primeira
    triagem. Escolas pequenas costumam ser mais acolhedoras. Mesmo que
    estejam inseridas em instituições maiores, ter um prédio separado para a
    educacão infantil, já resolve.
  3. Escolha, pelo menos, três escolas para visitar, assim terá parâmetros de
    comparação.
  4. Marque as visitas. Evite visitas acompanhadas pela secretária, procure já
    agendar uma reunião com o coordenador e/ou diretor da escola, só eles
    poderão tratar dos princípios e valores que regem a prática educativa.
    Você já pode perguntar, nesse primeiro telefonema, qual a formação dos
    profissionais que estarão com as crianças. A Pedagogia é uma exigência
    do Ministério da Educação.
  5. Ao chegar na escola, esteja atento ao o que as paredes comunicam.
    O que tem nos murais? Estes tem somente textos informativos para
    adultos ou produções e atividades realizadas pelas crianças que revelam
    suas experiências e aprendizagens? A maneira como os profissionais que
    trabalham na escola entendem e se relacionam com as crianças com
    certeza vai estar estapampada nas paredes na escola e você pode colher
    essas informações, certas vezes, mais nas paredes do que na fala dos
    educadores.
  6. Em relação ao espaço físico, analise se as instalações são adequadas aos
    pequenos, tanto do ponto de vista da segurança e higiene como dos
    desafios que colocam.
    1. O mobiliário é adequado (mesas, cadeiras, estantes) de maneira que
      as crianças possam realizar, com autonomia, ações do dia a dia como lavar
      as mãos, beber aguá etc?
    2. Nas salas há brinquedos? Estes estão ao alcance de todos?
    3. Tem livros? Estão disponíveis para as crianças?
    4. Há espaço para atividades em grande grupo e em pequeno grupo?
    5. Tem um espaço mais aconchegante caso queiram descansar durante a
      rotina escliar?
    6. Há um espaço que propicie atividades com materiais plásticos como tinta,
      massinha, argila?
    7. No espaço externo há brinquedos para a exploração corporal? Tem tanque de areia?
  7. Outro ponto a ser pesquisado é a rotina escolar. A rotina é um elemento
    estrutrante para as crianças pequenas, imprime um ritmo para suas
    vivências.
    1. Quais atvidades acontecem regularmente? Em que sequência? Quanto
      tempo é dedicado a cada uma delas?
    2. Ouvem histórias todos os dias?
    3. Quanto tempo brincam? Crianças de idades diferentes se encontram
      para participar de situações diversas?
    4. Mesmo sendo respeitada, a rotina é flexível de modo que os
      educadores possam atender às necessidades individuais?
    5. Como é o lanche? A escola oferece ou as famílias mandam de casa? Há
      restrições de alimentos que não podem ser consumidos na escola
      (refrigerante, bala, chocolate)?
  8. Em relação à parceria com a comunidade:
    1. Os pais podem entrar na escola na entrada e saída e conversar com a
      professora sobre assuntos simples do dia a dia?
    2. Qual a frequência das reuniões de pais?
    3. Mães e pais recebem relatórios que descrevem o desenvolvimento de
      seus filhos? Com qual regularidade?
    4. Há eventos para integração da equipe da escola com as famílias? Quais?
    5. Quais outros espaços são possíveis de participação dos pais?

Enfim, muitos aspectos podem ser considerados nessa escolha. Agora, a
última dica! Depois de passar por todos esses pontos, ouça seu coração.
Olhe nos olhos da professora que será de seu filho e veja se ela passa
segurança e confiança. Considere como você se sente no espaço escolar,
quais sentimentos e sensações provoca. Pai e mãe estarem seguros na
relação com a escola é fundamental para a boa adaptação das crianças.

Boa sorte!

Fonte:
Equipe de Pedagogia do Instituto Natura
Responsável: Maria Slemenson, Coordenadora do Projeto TRILHAS