Como fazer o cabelo crescer

O crescimento dos fios obedece a um ciclo de três fases que acontece a vida inteira, mas fatores como nutrição e desequilíbrio hormonal podem afetá-lo

Publicado em 28 nov 2018, 14:11

“Meu cabelo não cresce” e as variações “meu cabelo demora a crescer” e "como fazer o cabelo crescer" são queixas bastante comuns entre a maioria das mulheres. Antes de se desesperar com alguma delas, é preciso saber que o processo obedece a um ciclo de três fases, que se mantém ao longo da vida.

Leia também:

Cabelo ralo e fino: veja 7 dicas para nutrir e dar volume

Guia completo para cabelo ondulado

“De 10% a 15% dos fios de uma pessoa estão na fase telógena, o que significa que a maioria deles ou está na anágena ou na catágena”, afirma o médico Valcinir Bedin, presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo.

As três etapas se repetem por toda a vida, ou seja, o cabelo nunca para de crescer, salvo ocorrência de doenças ou disfunções. Por mês, em média, os fios crescem 1,2 cm. “Mas cada pessoa tem a própria velocidade, que é fortemente influenciada pela herança genética”, completa Bedin.

O que afeta o crescimento

Apesar de o ciclo do crescimento ter as mesmas etapas em homens e mulheres, nelas os fios crescem mais depressa e em maior quantidade.

“Os hormônios sexuais têm relação intensa com esse processo”, diz o especialista. De maneira geral, os hormônios femininos são mais favoráveis a ele do que os masculinos.

Gravidez e menopausa

É por isso que as mulheres percebem significativas mudanças no cabelo ao engravidar e ao entrar na menopausa.

Na gestação, quando a mulher está inundada de estrógeno e progesterona – hormônios femininos –, os fios tendem a crescer mais e a ganhar mais volume.

O único senão é que de dois a três meses após o nascimento do bebê – justamente por causa de outra brusca alteração hormonal –, o cabelo cai acentuadamente. Chamado de eflúvio telógeno pós-parto, o fenômeno é, na maioria dos casos, passageiro.

Já na menopausa, quando a mulher para de produzir estrógeno e progesterona, o cabelo pode ter a velocidade de crescimento diminuída e afinar.

“Após os 50 anos, tanto nos homens quanto nas mulheres, a velocidade cai pela metade”, afirma Valcinir Bedin.

O que pode impedir o cabelo de crescer

Além das diferenças entre homens e mulheres, a forma como o cabelo cresce pode ser prejudicada por causas variadas. A alteração hormonal provocada por doenças como hipotireoidismo e hipertireoidismo (alterações da glândula tireoide) é uma delas.

Doenças crônicas – como artrite reumatoide, diabetes e lúpus (inflamação crônica da pele) –  também podem fazer o cabelo crescer menos.

A importância da alimentação

“Custa caro para o organismo fazer cabelo”, explica Bedin. Isso porque os fios são feitos de queratina e melanina (dois tipos de proteína).

Para produzi-los, o corpo tem de mobilizar mais proteína, sais minerais e vitaminas. “Como uma pessoa pode sobreviver sem cabelo, ao menor sinal de problema, essas substâncias são desviadas para o órgão afetado”, explica Bedin. Por isso, a deficiência nutricional é outra questão que pode afetar como o cabelo cresce. 

Dois fatores comuns podem estar por trás da falta de nutrientes no organismo: doenças como a de Crohn (uma inflamação no intestino que prejudica a absorção de substâncias importantes provenientes dos alimentos) e dietas muito restritivas, como aquelas que cortam grupos de alimentos ou se concentram em apenas um deles.

“Micronutrientes como zinco, vitamina A e ferro têm impacto no crescimento do cabelo”, afirma Adriana Benito, dermatologista da Clínica Senses, em São Paulo, e professora-adjunta do curso de dermatologia estética do Instituto Superior de Medicina (ISMD), também na capital paulista.

Ferro e proteína são outros nutrientes essenciais para fazer o cabelo crescer. Para obter essas substâncias, os especialistas recomendam uma alimentação rica em carne, grãos – como feijão – e vegetais verde-escuros, como couve e brócolis.

Hábitos que prejudicam

Se comer bem é um hábito que influencia positivamente no crescimento dos fios, outros como fumar prejudicam o processo.

“Os componentes do cigarro – principalmente a nicotina – diminuem o calibre dos vasos sanguíneos, o que reduz o aporte de nutrientes para o fio do cabelo”, afirma o médico Valcinir Bedin.

Como fazer o cabelo crescer efetivamente

O tratamento começa com uma avaliação clínica em consultório médico. No encontro, o especialista poderá pedir exames como hemograma, dosagem de vitaminas e sais minerais, dosagem hormonal e exames especializados como scanner do couro cabeludo – que amplia em até 20 mil vezes a região – e exame do bulbo capilar via microscópio eletrônico, que permite avaliar se a estrutura está sadia ou não.

“Quando há uma doença de base [como a diabetes], é preciso que ela seja tratada em associação com o tratamento dermatológico, para restabelecer o crescimento”, afirma Adriana Benito.

Patauá: óleo de fruto amazônico

As mulheres da Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre, em plena Amazônia, há gerações, descobriram no fruto patauá um aliado para o crescimento do cabelo.

Do ativo – originário do patauazeiro, uma palmeira que pode alcançar 25 metros de altura –, extrai-se um óleo que ajuda o cabelo a crescer. A partir dele, desenvolvemos a linha Ekos Patauá, que é composta por shampoo e condicionador (para cuidados diários), máscara de fortalecimento e cápsulas de óleo concentrado (tratamento prodfundo), óleo fortalecedor (finalização) e tônico capilar (crescimento acelerado).

O benefício deste último produto é acelerar o crescimento de fios já existentes e fortalecer o cabelo, agindo desde a primeira aplicação. É indicado para mulheres com cabelo ressecado, fraco e quebradiço. 

Cuidados no dia a dia

Assim como estar com a saúde em dia influencia no cabelo, alguns hábitos do dia a dia também. Entenda o impacto de cada um deles.

1. Prender o cabelo

Prender o cabelo em rabos apertados – entre outros penteados – é prejudicial aos fios, pois inflama a raiz podendo levar à alopecia de tração (tipo de calvície irreversível).

2. Pentear e escovar

O indicado é mexer o menos possível no cabelo, também pela questão de lesionar o bulbo. A recomendação é usar pentes e escovas com dentes e cerdas largos, preferencialmente de madeira

Valcinir Bedin sugere não pentear/escovar embaixo do chuveiro. O melhor é retirar o excesso de água primeiramente, pois, molhado, o fio fica mais frágil.

3. Lavar e condicionar

Na hora de escolher seu shampoo e condicionador, escolha aqueles específicos para seu tipo de cabelo.

Outra recomendação importante é se atentar ao pH dos itens, que tem de ser em torno de 5,5 (ácido), que corresponde ao do cabelo.

Também procure usar itens da mesma marca e linha. O shampoo desengordura o fio e o condicionador devolve um pouco de gordura, por isso é importante que eles tenham o mesmo mecanismo de ação.