Encontre por

4 atitudes simples para criar crianças sem estereótipos de gênero

A igualdade de direitos entre homens e mulheres começa em casa, com a educação dada a meninos e meninas

Publicado em 25 jun 2018, 21:06

Um mundo no qual mulheres e homens têm os mesmos direitos começa com a educação dada às crianças. Proporcionar as mesmas possibilidades a meninos e meninas é o caminho natural para uma criação livre de estereótipos de gênero.

Leia também:

5 atitudes para adotar no caminho da autoaceitação

O que é feminismo e por que você não precisa ter medo dele

Sororidade: todas juntas pelo fim da rivalidade feminina

Apesar de aparentemente simples, mudar essa chave requer prestar atenção a atitudes aparentemente involuntárias que acabamos tomando no dia a dia. Veja a seguir o que fazer e não fazer com seu filho ou sua filha.

1. Não existe brinquedo de menino ou de menina

Quando brincam, crianças experimentam papéis sociais, e isso nada tem a ver com orientação sexual. Por isso, se seu menino quiser brincar de boneca ou sua menina, de carrinho, não reprima. O mesmo raciocínio se aplica a esportes ou qualquer atividade física. A habilidade para balé ou judô nada tem a ver com gênero.

2. Menino chora, sim

Nenhum ser humano deveria ser ensinado a reprimir as emoções. Meninos e meninas sentem dor e tristeza. Como criar seres humanos empáticos se os condenamos quando expressam seus sentimentos?

3. Divida as tarefas domésticas igualmente

Meninas não têm um gene especial que as tornam mais habilidosas para limpar ou cozinhar. Envolva igualmente seu filho e sua filha na realização de trabalhos domésticos. A responsabilidade pela manutenção de uma casa é de quem mora nela.

4. Seja o exemplo

Não adianta nada falar em respeito e igualdade entre os gêneros e fazer brincadeiras sexistas ou usar expressões que inferiorizam a mulher, como “parece que joga como mulherzinha”. Crianças aprendem com exemplos, não só com palavras.

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba mais dicas para adotar o caminho da autoaceitação!