Encontre por

Amazônia Viva

Somos um só: pessoas, floresta e planeta!

Publicado em 12 fev 2019, 12:02

Todos os anos o desmatamento da Amazônia cresce. Em 2018 foi maior que 2017.

E 2019? Vai ser também? 

Todos os anos frutos e raízes da maior floresta tropical do mundo desaparecem já que suas árvores viram cinzas. 

E histórias tradicionais com importantes significados simbólicos e culturais são desvalorizadas e deixam de existir. 

O mundo continua desconhecendo que a floresta é também cidade, música, moda, festa e comida. 

E gente, muita gente. 

Todos os anos a Amazônia fica menor para o mundo, inclusive para quem mora perto dela. Isso gera inúmeras perdas, além de intensificar o processo de aquecimento global.

Todos os anos a gente pode mudar essa história. 

Mas não muda. 

Porque sozinho, a gente não muda nada.

O que uma marca de Beleza pode fazer por isso? 

Desde 2000 floresta em pé é o compromisso que a Natura firmou com a Amazônia. 

Floresta em Pé é priprioca, ucuuba, patauá, murumuru extraídos de forma sustentável. 

É gerar renda para mais de 4 mil famílias. 

E conservar 257 mil hectares, o equivalente às cidades de São Paulo e Rio de Janeiro juntas. 

É construir o Ecoparque, um Centro Tecnológico no meio da floresta que pesquisa ativos e leva negócios para a região. 

É criar uma nova economia, que distribui lucros, reparte benefícios e reconhece o valor do conhecimento tradicional. 

Porque a Amazônia é um dos lugares mais importantes da Terra. 

Pela riqueza da sua biodiversidade. 

Pela sua efervescência cultural. 

Pela sua importância para o equilíbrio do clima. 

E porque ela nos ajuda a lembrar que somos um só: pessoas, floresta, planeta. Não vivemos um sem o outro. 

Por isso é preciso encontrar uma nova forma de unir desenvolvimento e floresta. 

Se a gente quiser manter o nosso futuro de pé. 

Minha Amazônia

Leia também:

Programa Amazônia: entenda como a Natura apoia a economia da floresta

Dia da Amazônia é 5 de setembro: saiba o que você pode fazer por ela

Mulheres da Amazônia: como Priprioca e Patauá viraram empoderamento

O mundo é mais bonito com você